Claroscuro: comunhão entre vinhos e arte

Claroscuro

Toda pessoa que viva de perto a experiência do vinho, sua elaboração e consumo, sabe que a arte também está presente em seus processos. Gustavo e Paula Cucchiara decidiram tornar ainda mais explícita essa associação com o seu projeto vitivinícola Claroscuro, em  que a pintura é vital para compreender o conceito que guia a sua produção. 

A vinícola começou a ser gestada em 2010, quando o casal desembarcou no Valle de Uco em busca de um terroir que fosse a base ideal para seu sonho. Foi assim que toparam com a finca San Francisco, localizada em Vista Flores (Tunuyán) e sua impressionante panorâmica da Cordilheira dos Andes. 

Com uma elevação de entre 1.000 e 1.400 metros acima do nível do mar e várias ondulações, o vinhedo oferece uma grande variabilidade em suas uvas. O terreno é percorrido pelo leito de um antigo arroio, com ladeiras orientadas ao norte, sul e oeste, o que permite que as videiras recebam distintos níveis de influência do sol. Nas zonas de maior altura, o solo é franco arenoso, enquanto nas mais baixas aflora a pedra bola.

A fazenda principal conta com treliças localizadas de norte a sul, buscando que recebam luz durante o dia todo. O sistema de rega por gotejo se alimenta com água proveniente dos degelos dos cumes altos, que se armazena em uma represa e permite o controle minucioso da irrigação.

Claroscuro

Os vinhedos Claroscuro

Na primeira etapa do vinhedo foram plantados 12 hectares de videiras de Malbec, aos quais se somaram mais quatro no ano seguinte. Depois, três hectares de Cabernet Franc, três de Petit Verdot e quatro de Pinot Noir. 

Para a produção de variedades brancas, os Cucchiara decidiram comprar uma chácara situada em Água Amarga (Tunuyán, Valle de Uco), onde o solo franco arenoso apresenta condições perfeitas para o cultivo de Chardonnay, Sauvignon Blanc e Semillon. 

Finalmente, apontando em direção ao desenvolvimento dos Single Vineyards, adquiriram parcelas especialmente selecionadas em Gualtallary e Paraje Altamira, dedicadas apenas à produção de Malbec.

Um casamento ideal: arte + vinho

Com o terroir definido, era chegada a hora de polir o perfil dos vinhos. O engenheiro-agrônomo Alberto Benenati passou a ser o encarregado pelo manejo dos vinhedos, trazendo em sua bagagem mais de 15 anos de experiência. Em paralelo, o enólogo Diego Barrera foi colocado à frente da elaboração, conquistando um estilo equilibrado que agrega complexidade a partir do uso de carvalho francês e americano. 

Claroscuro

Só faltava então o toque final: a ideia de conjugar as artes plásticas e os vinhos, que chegou — assim como muitas inspirações — quase por coincidência. Durante uma conversa com o artista Sergio del Giudice, com quem nutre uma longa amizade, Gustavo Cucchiara refletiu sobre a necessidade de que a arte argentina alcançasse um público mais amplo, e se deu conta que o vinho poderia ser um ótimo veículo para esse propósito.

O nome do projeto, é claro, chegou diretamente do mundo da pintura. Uma boa técnica de claro-escuro ressalta os contrastes entre dia e noite, frio e calor, luz e escuridão. Os mesmos atributos que as videiras necessitam para oferecer uvas de qualidade. 

Indo além, os Cucchiara buscaram relacionar cada cepa e cada safra com uma obra e um artista. Assim, o primeiro vinho elaborado pela Claroscuro levou em seu rótulo uma obra de Del Giudice. As sucessivas pinturas que ilustraram as garrafas foram eleitas considerando o impacto, a expressividade, a intenção dos artistas e a maneira que se conectavam com cada vinho. 

Assim, por exemplo, para o Gran Reserva Malbec 2018 foi selecionada a obra Rincón de la Boca, de Benito Quinquela Martín, que retrata o bairro onde o artista — com um estilo tão autêntico e expressivo como os vinhos da marca — residia. 

Grande parte do catálogo atual de vinhos da Claroscuro é ilustrado por obras de artistas jovens como Mariela González, Mauro Boteli, Paola Bertolotto, Sol Curto e Carlos Langone, com a intenção de associar a produção artística com um caráter vibrante e fresco.

Impulsando a difusão dos nomes dos autores, os rótulos no verso das garrafas incluem a biografia do artista e informação sobre a sua obra, ao passo que nas redes sociais da vinícola podem ser encontradas outras iniciativas e propostas de cada artista. Anualmente, também, a Claroscuro organiza uma exposição que reúne as obras que ilustram seus vinhos. 

Claroscuro

Descubra mais sobre os vinhos da Argentina: Argentina, diversa e natural

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *