Vinícola Trivento: 25 anos de uma trajetória de vento em popa

Bodega Trivento

No fim da década de 1990 a Argentina era a terra prometida para o negócio do vinho. Sopravam ventos de renovação e o Malbec começava a ser um vinho que ganhava fama. Entre esses ventos se anunciava um futuro promissor, onde a Bodega Trivento logo marcou território com seus vinhedos.

O nome da vinícola deixa claro: os três ventos que dominam a paisagem em Mendoza são os mesmos que nomeiam esta casa que conseguiu, em um quarto de século, ter três vinícolas, 1600 hectares de vinhedo próprio e ser considerada a marca argentina número 1 em vendas.

Tudo isso em apenas 25 anos: os mais importantes do último século em matéria de consolidação do negócio do vinho, também é preciso dizer. No momento onde a Argentina entrava no mercado internacional,  a Bodega Trivento iniciava suas operações com o mesmo objetivo.

Bodega Trivento

Bodega Trivento, protagonista do vinho argentino

Estabelecida em Maipú pela Viña Concha e Toro Family of Wineries, ao longo de 25 vindimas se posicionou como uma das principais três companhias exportadoras, com operações em todo o mundo e epicentro no mercado britânico. 

Para se ter uma ideia do dinamismo da companhia, só entre 2020 e 2021 se transformou em Empresa B, adquiriu uma nova bodega com vinhedo e um chalé de estilo em Luján de Cuyo e certificou seus vinhos com a Vegan Society.

Além disso, consolidou a sua liderança como a marca argentina de vinho número 1 em vendas ao redor do mundo (segundo a análise do IWSR Drinks Market, a Trivento se posiciona como a marca argentina de vinho N°1 do mundo em valor, tendo atingido 256.198.000 dólares em vendas de varejo e E-commerce, em 2020).

Para 2021, estimam que a sua marca emblema, a Trivento Reserve, atinja a marca de um milhão e meio de caixas de 9 litros vendidas. 

Sobre isso, Marcos Jofré, o CEO da Bodega Trivento, comenta: “Os nossos primeiros 25 anos nos permitem sonhar ainda mais, a nossa ambição é ser a marca argentina de vinhos mais admirada, com uma firme posição nos mercados mais competitivos e levando esse valor aos nossos clientes e consumidores”.

Germán Di Césare lidera a equipe de enologia que projeta e elabora o coração da casa: as linhas Trivento Reserve e Trivento Golden Reserve, além de Gaudeo e da icônica Eolo. Trabalhando em parceria com os agrônomos responsáveis, eles se ocupam das fincas próprias e das de terceiros, algumas arrendadas a longo prazo, como o vinhedo Eolo, de onde obtém o vinho homônimo.

Di Césare diz: “O nosso foco ainda é o Malbec de Luján de Cuyo, sobre o qual estamos trabalhando com precisão nos estilos possíveis. Mas miramos o horizonte do Valle de Uco, onde exploramos de Gualtallary a Paraje Altamira, com diversidade de estilos e variedades”.

Com uma moderna infra-estrutura focada nos vinhos top da bodega, Di Césare e sua equipe empregam barris e tonéis de primeira qualidade, além de uma bateria de tanques, nichos de cimento e outras tecnologias de elaboração.

Bodega Trivento

Sustentabilidade e ventos de mudanças

Trivento é líder em iniciativas sustentáveis: em 2013 colocou em prática um projeto transversal na operação da companhia que posicionou a sustentabilidade no centro do seu modelo de negócio. Aderiu ao Pacto Global das Nações Unidas e anualmente reporta metas para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da agenda 2030. 

Além disso, comprometida com a filosofia de respeito ao meio ambiente, gera energia limpa (505 MWH/ano) para abastecer parte de suas operações com a instalação de uma planta fotovoltaica e conta com um sofisticado programa de aproveitamento hídrico, precisamente em um meio como Mendoza, onde a água é um dos recursos mais valorizados.

Conscientes do impacto positivo que uma vinícola pode gerar em sua comunidade, implementou uma escola satélite em 2008: através dela, 96 colaboradores conseguiram terminar seus estudos de nível fundamental e médio no estabelecimento. 

Outra iniciativa que apoia a educação é a arrecadação de fundos para bolsas educativas a partir da venda de um inovador vinho blanc de noir, o Trivento White Malbec. As bolsas de estudo são entregues através de FonBec, o Fundo de Becas (bolsas, em português) para estudantes de baixos recursos e altos rendimentos.

No período que dá início aos seus próximos 25 anos, a Trivento se encontra sólida e reconhecida como uma vinícola protagonista do vinho na Argentina. E para onde a levarão os ventos do futuro? A julgar pela sua trajetória, ela ainda irá longe, muito longe.

Continue a sua leitura descobrindo as novidades sobre a D.O.C. Luján de Cuyo: Relançam Luján de Cuyo, a primeira D.O.C. do Malbec argentino

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *