Olá, Mendoza! Primeiro post direto da terra do sol e dos melhores vinhos

Turismo em Mendoza

NÃO ACREDITO! Estou escrevendo pela primeira vez direto do verão sul-americano. Honestamente, eu também não esperava que meus desejos se cumprissem tão rápido, mas aqui estou, feliz, tentando saborear cada segundo deste sonho.

Dois posts atrás, eu te contava sobre a Festa Nacional da Vindima em Mendoza, e como enlouqueci com essa celebração, a ponto de mergulhar em cada vídeo do YouTube que encontrei sobre o tema. 

Bem, já sabemos o que acontece quando damos um google sobre qualquer coisa; a informação brota como se fosse um gêiser. Foi assim que começaram a aparecer em todas as minhas telas promoções e descontos de voos para a Argentina, até que eu disse: por que não fazer turismo em Mendoza?

Algo que na minha mente era um desejo distante, quando começou a aparecer com tanta insistência, já não me pareceu tão impossível. Foi então que eu decidi me dar ao luxo de estender um pouco mais o meu spring break, com a certeza de que era o momento perfeito para fazer esta viagem.

Turismo em Mendoza

Turismo em Mendoza: o começo da minha aventura na Argentina

Há uma semana peguei um voo direto de Nova York para Buenos Aires. Na fila do check in no JFK fiz os meus primeiros amigos, Julieta e Tomás, um casal de mendocinos que voltava de sua primeira viagem a NYC. 

Eles se entusiasmaram muito com a minha aventura vitivinícola (assim eles batizaram a minha viagem de turismo em Mendoza). Conversamos bastante antes de embarcar, eles estavam alucinados com a neve, o MET, os pretzels e o hot chocolate de Max Brenner — eu lhes disse que precisam voltar para provar o de Jacques Torres. Já eu estava ansiosa para degustar muitos Malbec, conhecer as montanhas e viver o milagre de chegar justo na época da colheita.

O casal me deu muitas dicas valiosas: não sair sem touca, protetor solar e uma garrafa de água, usar sapato cômodo para caminhar e sempre passar repelente de mosquitos. Eles também prometeram me levar para passear. Eu lamentei não ter o mesmo voo: eles ficariam uma noite em Buenos Aires, e eu tinha minha conexão para Mendoza no mesmo dia.

De Buenos Aires ainda não tenho nada para contar porque apenas conheci o que consegui observar pela janela do bus que me levou do Aeroporto Internacional de Ezeiza até o Aeroparque Jorge Newbery, de onde saía o avão para Mendoza. Eu deixei reservadas algumas noites no final da viagem para visitar a capital do país, porque agora o único que queria era chegar direto na fonte do vinho.

turismo em Mendoza

Modo Mendoza

Esta terra me apaixonou desde que eu aterrissei: as montanhas lá na frente, tão pertinho, o céu azulzinho sem nenhuma nuvem e um sol do meio-dia que queima o ar. Não é um calor pegajoso e úmido como o de Nova York. É abafado, mas também estimulante.

No primeiro dia de turismo em Mendoza eu saí para conhecer os arredores do hotel caminhando. Em poucos passos já havia identificado os signos particulares desta cidade: as árvores — muitas, frondosas, formando túneis verdes que dão sombra em algumas ruas — e as valas, canais entre a rua e a calçada por onde circula água para a irrigação.

Logo decidi sentar no Santa, um restaurante com um mercadinho, mesas do lado de fora de onde se pode admirar o perfil lilás da cordilheira, pratos com ingredientes locais e vinho por taça. Acho que foi nesse momento que a minha alma também aterrissou neste hemisfério e com esse brinde com L’Argentin de Malartic Rosé de Diamandes — (dizem ser uma vinícola colossal, tenho que visitá-la) — eu me dei as boas-vindas a essa viagem.

Outra coisa que tem no DNA destas terras é a hospitalidade das pessoas. Eles são muito “amigueiros”, como Juli e Tomi me explicaram. Eles mesmos nem bem chegaram e já me chamaram no chat; desde então estão me levando para conhecer lugares incríveis, com road trips pelas fincas, as colinas e montanhas, organizando reuniões deliciosas com seus amigos e familiares, daquelas com longas conversas no quintal das casas, sempre com uma taça em mãos.

Turismo em Mendoza

Fizemos uma lista de vinícolas imperdíveis para visitar — dei match nos recomendados do Alex com as sugestões dos meus guias turísticos locais e… havia muitas coincidências!, mas só conseguimos ir os cinco (se juntaram a nós Sole e Valen, as irmãs de Juli) a duas. Por sorte, eu já tinha várias reservas feitas ainda nos Estados Unidos, mas irei sozinha a essas vinícolas.

Tomi está fazendo um churrasco em minha homenagem e não quero perder como ele prepara os vegetais na grelha, assim aprendo todos os seus truques. Entre os convidados, vai haver uma amiga agrônoma que trabalha em uma vinícola e um amigo sommelier. Uau, parece que para eles é normal conviver com gente que faz coisas que admiro!

Em breve lhes conto mais. Prometo que vocês vão ficar sabendo de todos meus passeios. Tim tim!

Não se vá! Continue lendo sobre os vinhos argentinos: https://blog.winesofargentina.com/es/destacadas/fiesta-de-la-vendimia-2022/

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.