Rutini Wines, vinhos com tradição e excelência

Rutini Wines
DCIM100MEDIADJI_0885.JPG

Poucas vinícolas argentinas possuem o mesmo fascínio que a marca Rutini Wines exerce sobre os consumidores: a presença de um vinho Rutini na mesa de qualquer reunião provoca uma verdadeira admiração nos olhos e bocas dos presentes. Nada disso é por acaso.

Estabelecida por Felipe Rutini em 1885, a vinícola indicou o caminho a seguir  com vinhos qualitativos desde o primeiro dia de sua existência. Ao longo das décadas seguintes, a então conhecida como bodega La Rural — localizada a quilômetros de distância da cidade de Mendoza — consolidou uma relação vigorosa com os consumidores. Um vínculo que ganhou profundidade no final do século XX, quando lançaram alguns dos vinhos que hoje são um emblema da casa atual: Rutini Antología e Single Vineyard.

Rutini Wines

Rutini Wines, história de qualidade

Felipe Rutini era um visionário. Desembarcou na Argentina em 1884 vindo da Itália, onde tinha se formado na escola de agricultura de Ascoli Piceno. Já em Mendoza, adquiriu a sua primeira chácara em Coquimbito, Maipú, onde começou a elaborar vinhos que chegariam a ser legendários. É considerado um dos principais fundadores da indústria do vinho na Argentina.

Em 1925, a companhia já trabalhava a todo vapor e estava orientada a produzir vinhos de alta qualidade, com tecnologia avançada para a época (maquinaria que hoje se encontra exposta no museu da Bodega La Rural). Esse ano adquiriu a primeira das que seriam suas chácaras no Valle de Uco. Nessa época Tupungato era um lugar remoto e inacessível, apesar de o seu potencial para os vinhos ser uma promessa que corria de boca em boca na região.

Quando na década de 1990 a rega por gotejo abriu as portas para os terroirs de altura, Tupungato já estava devidamente conectada ao resto da província. Com novos proprietários alinhados com as ideias visionárias de Felipe Rutini, se estabeleceu a nova e definitiva casa em Gualtallary, Tupungato, onde atualmente se localiza a Rutini Wines.

Rutini Wines

Laboratório de vinhos

À frente da equipe enológica da Rutini Wines está Mariano Di Paola, “uma lenda da enologia”, segundo o crítico britânico Tim Atkin. Di Paola é um enólogo que prefere experimentar ao invés de copiar receitas. Por isso, a vinícola de Valle de Uco não demorou em se tornar uma verdadeira escola em matéria de ensaios e tecnologia. 

“Na Rutini Wines — conta Di Paola — nós podemos elaborar com a mesma capacidade duas barricas de um vinho exclusivo, assim como produzir milhares de garrafas das nossas linhas mais vendidas”.

Na sala de fermentação eles empregam desde uma seletora óptica de uvas até os primeiros roll fermentors usados na Argentina, além de ensaios de toneleria, tanques e maquinaria de precisão em geral. Contudo, o segredo da casa está na utilização da melhor uva disponível no mercado: eles contam com chácaras próprias no Valle de Uco, nas indicações geográficas de Gualtallary, La Consulta e El Cepillo, e outras tantas que administram com contratos de longo prazo em toda a região.

Essa plasticidade faz deles uma vinícola versátil, sem dúvida. É assim que conseguem elaborar linhas comerciais — como a Rutini Colección — onde exploram todas as variedades importantes que existem na Argentina, algumas edições limitadas e vinhos únicos como os da linha Rutini Apartado, Rutini Single Vineyard e Rutini Antologia (esta última composta por edições únicas).

Rutini Wines

Para conhecer

Rutini Colección é uma linha de varietais que explora o Valle de Uco como região. Em sua produção empregam uvas de Gualtallary, La Consulta e Paraje Altamira, além de utilizar, em certos casos, alguma outra indicação do Valle de Uco. 

“Nesta linha queremos destacar o perfil de cada varietal para a região, interpretando-os com vinhos de elegância”, explica Di Paola. De estilo cosmopolita, se destacam o Malbec e o Cabernet Sauvignon, além do blend de ambas.

Rutini Single Vineyard, por outro lado, propõe a expressão de cada varietal para um terroir específico. O Rutini Cabernet Franc Single Vineyard Gualtallary 2017 se destacou com a medalha de platina no Decanter World Wine Awards 2020 e a edição 2021 distinguiu o Rutini Cabernet Franc Single Vineyard Gualtallary 2018, também com a medalha de platina.

A linha se completa com outros dois Malbec (Paraje Altamira & Gualtallary), e dois Cabernet Sauvignon (mesma origem), além de um Merlot de Paraje Altamira.

Já os da Rutini Apartado são vinhos de amadurecimento que merecem especial atenção e combinam uvas da região, tanto no Malbec, no Chardonnay e na versão Blend. 

A Rutini Anotlogía reúne edições únicas de seus vinhos. As garrafas são numeradas seguindo o alfabeto romano — por exemplo, Rutini Antología L (50)– e só realizam o envasamento nos anos em que a qualidade justifica classificá-los como vinhos de antologia.

Sem dúvida, a Rutini Wines atualmente se focaliza no mercado de exportação, onde a sua reputação está apenas começando a ser forjada. A julgar pelos vinhos que vendem no mundo, não falta muito tempo para que a marca provoque suspiros de admiração também em outras latitudes.

Para continuar aprendendo mais sobre os vinhos argentinos, clique neste link: A estrada do vinho tucumano, uma viagem repleta de sabores, cores e muita história

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *