Descubra 12 mulheres do vinho argentino

Breaking / Em destaque / Featured / Mercado / Notícias / Tendências / 3 Março, 2020

By: Alejandro Iglesias

A história argentina conta com muitas mulheres notáveis que fizeram grandes contribuições para o vinho. Entre as mais reconhecidas mulheres do vinho argentino estão Susana Balbo, a primeira enóloga do país, e Laura Catena, que lidera a bodega familiar. Mas junto a elas, muitas outras ocupam lugares de poder em diferentes bodegas e instituições.

 

Hoje uma nova geração amplia a cota feminina na vitivinicultura com profissionais que já garantem papéis importantes na história do país. 

 

Vamos conhecer as mulheres do vinho argentino mais importantes de 2020:

 

Marina Gayan. Em 1999, ela se radicou em Londres para se preparar para o exame do Masters of Wine, título que obteve em 2003 e que permitiu que ela se tornasse a primeira MW da América do Sul. Desde então, ela se especializou em marketing vitivinícola. Novamente na Argentina, ela é hoje uma referência dos vinhos da região, enquanto impulsiona um programa de capacitação para aspirantes sul-americanos a Master of Wine. 

 

Paz Levinson. Reconhecida como uma das sommeliers mais influentes do mundo, é a embaixadora de luxo do vinho argentino. Radicada em Paris, é Wine Director do Groupe Pic e com frequência percorre o mundo dando seminários sobre vinhos. Acaba de ser nomeada Regional Chair da Argentina para os Decanter World Wine Awards.

 

Adrianna Catena. Doutora em História pela Universidade de Oxford, também é criadora, ao lado de Alejandro Vigil, do El Enemigo Wines, um dos projetos mais renomados da Argentina. Apesar do low profile, ela se transformou na embaixadora do vinho argentino, com um claro interesse em mostrar para o mundo a grande qualidade da vitivinicultura do país. 

 

Julia Halupczok. Enóloga da Finca Sophenia, representa a nova geração de mulheres do vinho e é uma das referências de Gualtallary, no Valle de Uco. Também com projeto próprio, o PULSO, encara uma enologia ligada à origem e suas criações recebem importantes qualificações a nível global. 

 

Paz Levinson, Mariana Onofri, Julia Halupczok, Pamela Alonso, Daniela Mezzatesta & Paula Gutiérrez.

 

Pamela Alfonso. Engenheira Agrônoma de formação, também é responsável pelos vinhos da Bodega Alta Vista, onde é desenvolvida uma interessante coleção de Single Vineyards em diferentes regiões de Mendoza. Isto a torna uma especialista na expressão dos terrenos mais importantes do país, conhecimento que gosta de compartilhar com colegas e consumidores. 

 

Sofía Elena. A Argentina conta com terrenos extremos e pouco explorados, onde elaborar vinhos de qualidade é um desafio. Sofía é uma jovem viticultora que, depois de trabalhar na Nova Zelândia e na Borgonha, chegou a Chubut, o limite mais austral da Patagônia vitivinícola. Ali produz brancos e tintos que demonstram o grande potencial para uma nova enologia argentina.

 

Paula González. Apesar de ser muito jovem, trabalhou em importantes bodegas e com winemakers reconhecidos. Esta experiência a levou a se transformar na enóloga da Pyros Wines, bodega com raízes no Valle de Pedernal, na província de San Juan. Lá ela interpreta a essência de um dos terroir mais cativantes da viticultura de montanha. 

 

Maricruz Antolin. Enóloga da Bodega Krontiras desde 2008, é o rosto da biodinâmica em Mendoza. Sempre disposta a compartilhar sua experiência, em 2019 impulsionou a criação de Vinodinámicos, o primeiro grupo argentino focado na divulgação das técnicas propostas por Rudolf Steiner.  

 

Valeria Gamper, Adrianna Catena, Sofía Elena, Maricruz Antolin, Noelia Torres & Marina Gayan MW.

 

Daniela Mezzatesta. Pesquisadora tenaz, é uma engenheira agrônoma que passa seus dias estudando a incidência dos solos na qualidade do vinho. No Catena Institute of Wine, ela se transformou em uma especialista nos terroirs do Valle de Uco, conhecimento que divide em conferências e seminários. 

 

Noelia Torres. Depois de uma década de trabalho com Paul Hobbs, hoje é responsável pela Ruca Malen. Lá, aplicou a experiência adquirida nos Estados Unidos e na França para aggiornar o perfil da bodega, com vinhos elaborados a partir de uvas de diferentes zonas de Mendoza, introduzindo novos estilos e varietais. 

 

Mariana Onofri. Uma das primeiras sommeliers de Mendoza, é hoje uma das caras visíveis dos Productores Amigos, um grupo de viticultores unidos para dar relevância a bodegas pequenas com grandes vinhos. Passa seus dias elaborando Alma Gemela e Zenith Nadir, as etiquetas que engarrafa ao lado do seu marido, e organizando feiras nas quais divulga a cultura do vinho.

Valeria Gamper. Atual Melhor Sommelier da Argentina, conta com uma carreira interessante no mundo do vinho. Trabalhou em restaurantes como representante de bodegas e como wine educator. Hoje se prepara para representar o país nas próximas competições internacionais.


Etiquetas:,



Alejandro Iglesias
Alejandro Iglesias (40), apasionado por la gastronomía y las bebidas desde que tiene uso de razón, en 2005 se recibió en la Escuela Argentina de Sommeliers (EAS) y desde entonces se ha desempeñado como cronista especializado en diferentes medios locales (Bacanal, Glamout.com, BeGlam, Magna, Wine+, Revista Joy, Clase Ejecutiva y otros) e internacionales (Revista Sommeliers de Perú, Revista Placer de Uruguay y Decanter del Reino Unido). Como docente de EAS dicta clases en Buenos Aires, Panamá y Costa Rica. En 2013 fue nombra director académico de curso de Sommelier Profesional de la Facultad de Química de Montevideo perteneciente de la Universidad de la República Oriental del Uruguay.




Previous Post

Argentine wines in the UK, the category with the highest growth

Next Post

...Vinhos de montanha: como a altitude define os estilos argentinos





You might also like



0 Comment


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *