Por que nós amamos tanto o Malbec

malbec lovers

Os Malbec lovers estão se preparando para comemorar uma nova edição do Dia Mundial do Malbec, você se junta a eles?

Há aproximadamente 20 anos o Malbec argentino surgiu no radar mundial e passou a ser um dos vinhos preferidos dos winelovers. E com uma particularidade: o Malbec cativou primeiro os consumidores ocasionais, aqueles que ainda não tinham encontrado um vinho que os apaixonasse, já que o espírito amigável do Malbec não exigia experiência para apreciar seu sabor. Os consumidores apenas sabiam que o Malbec lhes agradava, e ponto.

E assim, o Malbec argentino seduziu paladares em todas as partes do mundo, de New Haven a Beijing, de Amsterdam a São Paulo. Por isso é hoje um dos tintos mais  cosmopolitas, ocupando o mesmo pódio que o Cabernet Sauvignon ou o Merlot, tendo a Argentina como o seu principal produtor.

Na expectativa do próximo Malbec World Day, que se celebra todos os anos em 17 de abril, os amantes do Malbec espalhados pelo mundo nos contam como e por que morrem de amores pelo Malbec argentino.

malbec lovers

Malbec lovers: Just can’t get enough 

Entre os fãs mais eufóricos do Malbec se encontram principalmente consumidores que, ao visitar uma loja de vinhos, o fazem com a expectativa de encontrar um vinho amável, saboroso e versátil. Ou seja, um vinho para brindar em um jantar ou para acompanhar um bate-papo ou um momento de diversão com amigos. 

Os consumidores dos Estados Unidos, Brasil e Reino Unido foram os que ajudaram a transformar o Malbec em um fenômeno internacional, já que esses mercados são as principais vitrines para o negócio do vinho: tudo que triunfa nessas regiões não demora em repetir o mesmo sucesso em outras zonas geográficas. Mas o que eles tanto apreciam no Malbec?

“Adoro a frescura e a suculência do Malbec argentino. É o acompanhamento favorito para um ribeye steak“, acredita Helen, que vive em Los Angeles, na Califórnia, e é fã confessa do Malbec. Já Jean, um consumidor com um pouco mais de conhecimento técnico, morador de Dublin, na Irlanda, explica: “Sou fascinado pela sutileza derivada desta uva ao ser cultivada na altitude de Mendoza. E eu não estou sozinho nessa preferência: o Malbec argentino é a terceira variedade de uva tinta mais popular da Irlanda. Os irlandeses adotaram seu estilo com satisfação”.

Em Rotterdam, Holanda, Jelske conta que o Malbec o seduz por sua energia indômita.  “Se fosse uma música seria “Take a walk on the wild side”. Cada vez que abro uma garrafa espero com ansiedade uma nova e audaciosa aventura”, se entusiasma. Do outro lado do Atlântico, desta vez em Toronto, Denis, um grande consumidor de vinhos, diz: “Eu gosto do equilíbrio de sabor, que não é nem pesado e mastigável como o Cabernet, nem muito ligeiro, como o Pinot.  O Malbec nunca decepciona porque possui um equilíbrio perfeito”, defende.

Mas talvez seja Emma, tão londrina quanto o Big Ben, quem consegue resumir melhor o que muitos sentem por esta variedade. “O Malbec argentino é simplesmente único. Em nenhum outro lugar do mundo esta uva se expressa com tanta vitalidade e riqueza de sabor. É fácil entender por que se transformou em uma palavra tão de moda na cultura do vinho: oferece uma experiência hedonista em cada taça”.

malbec lovers

Malbec geeks

Mas assim como alguns amantes dos vinhos consideram o Malbec uma referência de sabor para todos os paladares, outros se iniciaram com este tinto em um mundo de exploração e descobertas que os levou a estudar e conhecer mais de sua cepa favorita.

“Adoro a diversidade de terroirs que o Malbec argentino oferece, de muitas maneiras. Da elevada altitude dos Valles Calchaquíes em Salta às regiões vinícolas do sul, influenciadas pelo vento da Patagônia”, comenta Rachel durante uma degustação em Oswestry, no Reino Unido.

Em São Paulo, o amor pelo Malbec também incentivou muitas pessoas a quererem aprender mais sobre o mundo dos vinhos, como acontece com Milton, que está estudando para ser sommelier e diz que o Malbec argentino, por sua diversidade de estilos e origens “é ideal para provar às cegas e desenvolver habilidades de degustação. É um vinho nobre e transparente, onde o terroir se expressa nítido com diversos aromas”. Fã confesso, ele sentencia: “Existe um Malbec para cada ocasião”.

A opinião expert

Entre os wine gurus mais renomados do mundo, o Malbec argentino também toca fundo. Alguns dos paladares mais exigentes são hoje vozes mais que autorizadas para descrever esse sucesso. Dos Estados Unidos, Michael Schachner, colunista responsável pelos vinhos argentinos para a conceituada revista Wine Enthusiast, o define como “a alma do vinho da Argentina. Nada fala mais sobre a Argentina que o Malbec e os deliciosos vinhos deste país que amo e do qual sinto tanta saudade”, derrete-se.

Por sua vez, Raimonds Tomsons, considerado o melhor sommelier da Europa, costuma contar assim a sua história de amor com o Malbec: “Tive a sorte de visitar a Argentina duas vezes, onde descobri que o Malbec é uma variedade única e versátil cultivada em muitas regiões, altitudes e solos diferentes, e tratada pelos enólogos locais com grande cuidado e respeito. Isso mudou totalmente a minha percepção do Malbec argentino, e essa aventura se complementou com uma viagem inesquecível a Cahors. Graças a todas estas incríveis visitas e encontros com enólogos apaixonados, descobri o Malbec como uma das maiores e mais versáteis variedades do mundo”.

E se a palavra está em posse dos maiores amantes do Malbec, não podemos deixar de citar Tim Atkin, o Master Wine britânico que há 30 anos visita a Argentina para dar a sua opinião especializada sobre a evolução de seus vinhos. “O Malbec é a quinta-essência da Argentina: exuberante, cheio de sabor e capaz de alcançar alta complexidade. Amo o fato de que possa ser elaborado com muitos estilos, refletindo a diversidade do país, suas paisagens e o talento dos winemakers locais. Costumam me perguntar o que vem depois do Malbec. E a minha resposta é: outros Malbec ainda melhores, com um pronunciado sentido de origem”.

Seja pela visão entendida de Atkin, através da curiosidade de Raimonds ou do romantismo de Sarah, sobram motivos para justificar que o Malbec argentino é digno de culto e paixões. It ‘s only Malbec, but I like it.

Se você gostou desse artigo, não deixe de ler: Como ler o rótulo de um Malbec argentino?

Comments

No comments yet. Why don’t you start the discussion?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *